Correção de cicatriz

Após um procedimento cirúrgico, imaginamos a cicatriz dos sonhos: fininha, clara, plana, quase imperceptível, e quando isso não acontece, a frustração é certa. É importante que se tenha consciência que vários fatores influenciam no aspecto final da cicatriz. Dessa forma, uma cicatriz cirurgica, tende a ter melhor qualidade que uma por trauma ou queimadura, visto que a ferida operatória é realizada em uma situação controlada, diferente dos outros casos citados. Do mesmo modo, a cicatriz de uma cirurgia eletiva ( ou seja, marcada) tende a ser melhor do que a de uma cirurgia de urgência (onde o ambiente não foi 100% controlado).

 

Outros fatores que merecem destaque por diminuírem a qualidade de uma cicatriz são: infecção no local, cicatrizes em áreas de tensão, grande espessura da pele envolvida e corpo estranho dentro da ferida.
Sempre tentamos contornar essas variáveis através de técnicas cirúrgicas apropriadas para livrar a cicatriz de tensão e profilaxia de infecção, entretanto, há uma variável que infelizmente ainda é imutável: a GENÉTICA, portanto se seus pais ou seus irmãos tem cicatrização ruim, com formação de quelóides, você é um forte candidato a ter também.

Então, a partir de uma cicatriz de má qualidade, tentamos substituir por uma mais discreta, isso pode ser conseguido através de técnicas cirúrgica e procedimentos clínicos:

  • Clínicos: Aplicação intra lesional de corticóide, betaterapia (redioterapia), uso de nitrogenio líquido, fitas de silicone e ácido retinóico em creme.
  • Cirúrgico: Excisão da cicatriz, com nova sutura com menos tensão em pele sadia, colocação de expansores cutaneos em cicatrizes muito extensas e enxerto de pele sã após excisão da cicatriz, quando o defeito resultante não for passível de fechamento por sutura primária ou retalhos locais.

O tratamento cirúrgico, geralmente, é realizado com anestesia local e sedação e com tempo cirurgico curto (1h) a depender do tamanho da cicatriz e da proposta cirurgica para correção
Em geral, o aspecto final da cicatriz é bem melhor após o tratamento, entretanto não se deve esquecer que varia de paciente para paciente, podendo até recidivar o defeito cicatricial inicial em alguns casos.