CIRURGIA DE FEMINIZAÇÃO FACIAL

Testa

TESTA

A testa junto com a área orbital (região frontonasoorbital) formam um dos traços de gênero mais importantes. O olhar determina se a pessoa tem aparência masculina ou feminina.

A feminização desta região consiste na reconstrução da área, dando ao paciente uma aparência mais delicada e uma expressão mais feminina.

Características da testa e das órbitas de acordo com o gênero

Indivíduos do gênero masculino tendem a ter um osso frontal mais volumoso. Como consequência disto, a testa e toda a região ao redor dos olhos (órbitas) ficam mais proeminentes. Uma testa feminina é tipicamente arredondada, com uma transição suave entre o nariz e a testa, e quase nunca tem áreas proeminentes.

Feminização da testa

A feminização da testa consiste na remodelação do osso frontal e das órbitas. O procedimento consiste em esculpir toda a área do osso frontal e reconstruir cirurgicamente a parede anterior do seio frontal.

As sobrancelhas estão posicionadas sobre o seio frontal, o seio é uma cavidade de ar oca, e apesar da sua aparência, o osso nesta região é muito fino (2 mm de espessura), o que significa que a eliminação bem sucedida destas protuberância na parede anterior do seio frontal não é possível apenas com um shaving. Tratar esta região apenas com um shaving pode trazer complicações como deixar uma transição inadequada entre o nariz e a testa e fazer com que a as sobrancelhas não sejam reposicionadas corretamente.

Para uma adequada remodelação e eliminação total do excesso de volume ósseo do seio frontal é necessário realizar uma excisão da placa óssea (osteotomia) para depois realizar o shaving e fixar cuidadosamente com microparafusos de titânio a placa removida em um local recuado em comparação com o original.

Os microparafusos de titânio estabilizam o segmento ósseo durante a cicatrização e tornam esta técnica de feminização da testa previsível e segura.

Esta escultura realizada cirurgicamente no osso frontal redefine o formato da região e elimina a proeminência frontonasal (volume entre o nariz e a testa). Também determina uma nova posição para os tecidos moles, para conseguir um efeito de levantamento da pele e músculos da testa e um reposicionamento das sobrancelhas em um formato feminino.

O efeito geral é uma mudança muito significativa no aspecto e na expressão da paciente.

A nossa larga experiência com este procedimento, realizado em mais de 700 pacientes, nos permitiu desenvolver incisões e técnicas de sutura que por serem feitas atrás da linha do cabelo, evitam a cicatrizes indesejadas.

VIDEO 3D

Como é feita a incisão

O acesso à região frontal (testa, raiz nasal, órbitas e proeminência da parede anterior do seio frontal) para fins de reconstrução, se faz com uma abordagem coronal modificada. Este é um dos acessos mais utilizados pela equipe FACIALTEAM. O acesso coronal modificado foi desenvolvido pelos Drs. Daniel Simon e Luiz Capitan. Uma incisão escondida é feita no couro cabeludo (atrás da linha do cabelo). Esta abordagem tem muitas vantagens, uma grande vantagem é que torna a cicatriz indetectável após a cirurgia. Outros benefícios são que seu design especial possibilita a obtenção de unidades foliculares que podem ser usadas para o transplante de cabelo imediato (durante a mesma cirurgia de reconstrução da testa), facilita o crescimento do cabelo através da própria cicatriz, previne hematomas (sangramento após a cirurgia) e promove um efeito de levantamento das sobrancelhas.


Bibliografia

The Forehead. Surgical Techniques and Analysis of ResultsSe você tem interesse em aprender mais sobre a técnica de reconstrução da testa, leia nosso artigo científico intitulado: Facial Feminization Surgery: The Forehead. Surgical Techniques and Analysis of Results

Luis Capitán, Daniel Simón, Kai Kaye and Thiago Tenório
Plastic and Reconstructive Surgery
October 2014

Back to top